Objetivo das ações é deduzir as contribuições extraordinárias da base de cálculo do Imposto de Renda, bem como restabelecer a paridade no custeio do equacionamento do REG/Replan Não Saldado

Continuam avançando na Justiça as ações coletivas tributárias e de paridade da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae) e Associações do Pessoal da Caixa (Apcefs). Das tributárias, o objetivo é retirar da base de cálculo do Imposto de Renda as contribuições extraordinárias do equacionamento dos planos REG/Replan Saldado e Não Saldado. Também requerem a dedução dessas parcelas no ajuste anual, sem o limite de 12%, bem como a devolução de todo o valor retido indevidamente.

As ações também buscam restabelecimento da paridade entre participantes e patrocinadora no custeio do equacionamento do REG Replan Não Saldado. Atualmente os participantes pagam 70% do valor, enquanto a patrocinadora custeia 30%.

Confira a evolução das ações tributárias

Confira a evolução das ações de paridade

 

Fonte: Fenae

Compartilhe:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Também

Publicações relacionadas

Night Run Jurerê 2023

Nesse último sábado (18/03), o Clube de Corrida da APCEFSC participou da corrida Nigth Run Jurerê. Nossos atletas mostraram um excelente desempenho. Com muita garra,

Dia da MUlher 2023

No sábado, a APCEF/SC realizou o evento para celebrar o Dia Internacional da Mulher.  O salão flamboyant recebeu uma decoração especial com a exposição de